Série reuniu os quatro maiores galãs da TV no final dos anos 60 e 'desvirginou' boca de atriz

Por Rodrigo Felicio ([email protected]) em 13/06/2021 às 19:16:17

TÍTULO
"Os Galãs Atacam de Madrugada"

GENERO
Dramaturgia

SUB-GÊNERO
Série

AUTOR
Cassiano Gabus Mendes

DIREÇÃO
Cassiano Gabus Mendes

ELENCO
Tarcísio Meira, Carlos Zara, Fulvio Stefanini, Hélio Souto, Luiz Gustavo. Com participações especiais de Irene Ravache, Regina Duarte, Arlete Montenegro e Eva Wilma.

EMISSORA
TV Excelsior

EXIBIÇÃO
Outubro de 1967 à Abril de 1968, aos domingos (RJ) e aos sábados (SP).

SINOPSE
Quatro amigos de personalidades diferentes (um tímido, um poético, um afoito e um realista) dividem um apartamento em São Paulo. "Namoradeiros" eles vivem as aventuras e desventuras das conquistas amorosas que tentam emplacar.

A cada dia, um nova história era contada, sem ligação com a anterior.

BASTIDORES

Nos final dos anos 60, a censura havia 'apertado' o cerco com as telenovelas das emissoras, empurrando seus horários para mais tarde.

Assim, a Excelsior resolveu criar uma série para 'satisfazer' as telespectadoras que dormiam mais cedo. E o que seria melhor do que trazer os galãs de suas principais telenovelas para um único programa? Foi assim que nasceu "Os Galãs Atacam de Madrugada" que tinha no elenco Carlos Zara (que estava no ar como capitão Rodrigo em "O Tempo e o Vento"), Tarcísio Meira (que havia acabado de finalizar a novela "O Grande Segredo"), Fulvio Stefanini (após o sucesso "As Minas de Prata") e Helio Souto (no ar em "Sublime Amor"). Apesar do título, a atração era exibida 'cedo', por volta das 18h (RJ) e 21h30 (SP).

Veterano da TV, Cassiano Gabus Mendes se incumbiu de escrever, produzir e dirigir a série. O título foi inspirado no filme "Os Comandos Atacam de Madrugada", que se passava na II Guerra Mundial.

Francisco Cuoco, astro da novela "Redenção", chegou a ser anunciado para o elenco, porem, não há registros de sua participação. Já Luiz Gustavo chegou a entrar para o time na fase final, em 1968.

No primeiro episódio Carlos Zara 'atacou' Irene Ravache. Durante a gravação do episódio, Zara levou tão a sério o tombo que precisava fazer na marcação, durante a paquera, e acabou se machucando de verdade. Precisou até de cadeira de rodas.

Uma outra história interessante é da atriz Arlete Montenegro, uma dos grandes nomes da dramaturgia nos anos 60. Ela, por conta do ciúmes do marido, não beijava na boca em cena. "De repente, o Cassiano me escalou para fazer o programa. Ele não sabia que eu não beijava e me chamou. Não lembro quem era o meu galã, mas sei que o beijei na boca. E aí, todo mundo comentou: Olha, ela está beijando. Foi a minha alforria.", revelou a atriz.

Comunicar erro

Comentários