GloboPlay traz clássicos nacionais do cinema

Por Redação em 07/06/2021 às 21:10:02

Apostando sempre no melhor conteúdo nacional, a partir de hoje, dia 07 de junho, o Globoplay lança um projeto especial que, além de homenagear o cinema brasileiro em chamada na TV narrada por Fernanda Montenegro, presenteia o público com uma seleção dedicada a obras essenciais da cinematografia nacional e inaugura ainda uma galeria virtual interativa sobre a sétima arte.

O projeto conta com 50 filmes imprescindíveis que vão desde clássicos, a partir da década de 1950, até grandes sucessos atuais de público e crítica. Essas obras estarão reunidas em um único lugar na plataforma, no agrupador "50 essências do cinema brasileiro", que estará dividido em dez grupos: "Precursores", "Cinema novo", "Censurados", "Inspirados pela literatura", "Inspirados em histórias reais", "Documentários" e "Campeões de bilheteria", "Retomada", "Os Recentes" e "Os Premiados".

"Reunimos em um só ambiente filmes que estavam espalhados no mercado de maneira que o assinante encontre no Globoplay uma oferta dedicada à este segmento. São verdadeiras joias para compreender o cinema nacional e o Brasil", diz Ana Carolina Lima, Head de conteúdo do Globoplay.

Entre os títulos selecionados estão "Rio 40 Graus", "Rio Zona Norte", "Memórias do Cárcere" e " Vidas Secas", de Nelson Pereira dos Santos, "Deus e o Diabo na Terra do Sol" e "Terra em Transe", de Glauber Rocha, "À Meia Noite Lavarei sua Alma" (José Mojica Marins), "Todas as Mulheres do Mundo" (Domingos Oliveira), "São Paulo, Sociedade Anônima" e "O Caso dos Irmãos Naves", de Luís Sérgio Person, "O Padre e a Moça" e "Macunaíma", de Joaquim Pedro de Andrade, "São Bernardo" e "Eles não usam Black-tie", de Leon Hirszman, "Bye Bye Brasil" e "Deus é Brasileiro" , de Cacá Diegues, "O que é isso, companheiro", "O Beijo no Asfalto", "Dona Flor e seus Dois Maridos" e "Flores Raras", de Bruno Barreto," Pixote, A Lei do Mais Fraco", "O Beijo da Mulher Aranha", "O Rei da Noite" e "Lúcio Flávio", "Carandiru", de Hector Babenco, "Cabra Marcado Para Morrer", "Edifício Master", "Jogo de Cena" e "Santo Forte", de Eduardo Coutinho, "A Ostra e o Vento" e "Inocência", de Walter Lima Jr., "O Quatrilho" (Fábio Barreto), "Central do Brasil" (Walter Salles), "O Auto da Compadecida" (Guel Arraes), "Cidade de Deus" (Fernando Meirelles e Katia Lund), "O Homem que Copiada" e " Ilhas das Flores", de Jorge Furtado, "Dois Filhos De Francisco" (Breno Silveira), "Tropa de Elite 1 e 2", de José Padilha, "O Céu de Suely" (Karim Ainouz), "Cidade de Deus" (Fernando Meirelles e Kátia Lund), "Ônibus 174" (José Padilha e Felipe Lacerda), "Amarelo Manga" (Cláudio Assis), "Cidade Baixa" (Sérgio Machado), "Meu nome não é Johnny" (Mauro Lima), "De Pernas Para o Ar 2" (Roberto Santucci), "Que Horas ela volta" (Anna Muylaert), " A Vida Invisível" (Karim Aïnouz), "Bacurau" (Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles), além dos campeões de bilheteria recentes como "Minha Mãe é uma peça 3" (Susana Garcia).


Comunicar erro

Comentários