Em 1996 SBT estreou 3 novelas nacionais no mesmo dia para assustar a Globo, mas derrapou feio!

Por Rodrigo Felício ([email protected]) em 16/10/2020 às 17:55:04
Adriana Esteves e Marco Ricca no elenco da novela "Razão de Viver" de 1996

Adriana Esteves e Marco Ricca no elenco da novela "Razão de Viver" de 1996

Depois de ter retomado a produção de teledramaturgia em 1994, após um período de três anos, o SBT havia conseguido finalmente reaquecer o mercado. Atores, diretores, cenógrafos começaram a ser requisitados de forma mais intensa, como não se via há algum tempo. Um alívio para muitos! Produtoras independentes estavam em 'polvorosa' também (caso da JPO, de Roberto Talma).

Mas em 1996 o SBT decidiu ousar: programou para um mesmo dia (6 de maio) a estreia de três telenovelas.

Sim, senhores! Os jornais especializados da época época davam manchete à 'audácia' da emissora perante da Globo.

A ideia era bater direto com 3 produtos da Globo. No início da noite "Colégio Brasil" tinha a missão "roubar" o público que havia acabado de assistir "Malhação" (novela teen da Globo que completava seu primeiro ano no ar e estava fazendo o maior sucesso) e "bater" de frente com "novela das seis". Logo depois, "Antônio Alves, Taxista" enfrentaria parte da "novela das sete" e do "Jornal Nacional" e, em seguida, "Razão de Viver" disputando a preferência com a "novela das oito" que também estreava naquele dia: "O Fim do Mundo" de Dias Gomes.

Das três novelas, apenas "Razão de Viver" era uma produção própria do SBT. As outras duas, produções independentes. Mas em comum, todas com um elenco de peso.

Maria Padilha, rosto presente nas novelas da Globo, em cena na novela "Colégio Brasil" do SBT

"Colégio Brasil" tinha Patrícia de Sabrit, Edwin Luisi e Maria Padilha. Já "Antônio Alves" era protagonizada pelo astro Fábio Jr, Guilhermina Guinle e Paulo Figueiredo. "Razão de Viver" trazia Irene Ravache, Joana Fomm, Marco Ricca, Adriana Esteves (sim nossa eterna Carminha), Lolita Rodrigues e Ana Paula Arósio. Segundo reportagens da época, o SBT investiu nas três novelas US$ 40 milhões.

Fabio Jr em cena na novela "Antônio Alves, Taxista".

Mas o tiro saiu pela culatra.

As novelas ficaram abaixo da média esperada pela emissora. As três trafegavam na casa dos 7 e 10 pontos e o SBT passou então a fazer o que faz de melhor... ou pior: troca seus horários. "Razão de Viver", por exemplo, que era exibida as 21h45, foi relançada às 18h. Ou seja, algo inexplicável estava acontecendo naquele momento, caros 'telemaníacos': às 18h você assistia, por exemplo, o primeiro capítulo da novela e, no mesmo dia, mais tarde, o 20º capítulo. Não dá nem pra descrever... E olha que a novela era boa!

"Colégio Brasil" também sofreu algumas mudanças de horários e não teve vida longa.

"Antônio Alves" chegou a ser encurtada visto desempenho ruim na audiência, duras críticas que recebeu devido aos péssimos cenários e sonorização, além de diversos problemas de bastidores.

Fato é que o SBT "desistiu" da ideia inicial de manter 3 produções simultâneas para fazer frente à Globo.


Para ler mais textos sobre as novelas do SBT, CLIQUE AQUI! E não deixe de favoritar e assinar para receber as notícias do site (na no final da página inicial). Teremos textos especiais durante toda esta semana, relembrando os grandes sucessos e curiosidades das novelas do SBT. Ahhhh e SIGA A GENTE NO TWITTER pra ficar por dentro de tudo, só CLICAR AQUI! Dá essa moral, vai!

Comentários