Em 1972, novela 'Selva de Pedra' hipnotizou o público e atingiu 100% de share no Ibope

Por Rodrigo Felicio ([email protected]) em 23/01/2022 às 14:59:23
Cena em que Simone (Regina Duarte) é desmascarada!

Cena em que Simone (Regina Duarte) é desmascarada!

O "Memória da TV" está prestando uma homenagem às telenovelas, que em dezembro de 2021 comemorou 70 anos no Brasil. E nossa viagem, que já começou, é "de trás para frente".

Dia sim, dia não, um texto novinho pra você, com curiosidades e muita história.

Quem é noveleiro ou ama a história da TV sempre ouviu esta 'lenda' de que a novela "Selva de Pedra", exibida pela Globo em 1972, atingiu a maior audiência da história: 100% de audiência.

Escrita pela "maga" Janete Clair, a trama era protagonizada por Regina Duarte e Francisco Cuoco. A novela contava uma história de amor repleta de ganchos e reviravoltas que deixou o público, realmente, hipnotizado frente à TV.

Simone (Regina Duarte) é uma artista plástica que testemunha uma briga entre Cristiano (Cuoco) e Gastão. Na desavença, por acidente, Gastão morre. Ciente da inocência de Cristiano, a mocinha encoberta o caso e se apaixona por ele. Os dois acabam se casando e deixam o interior, passando a viver na capital, Rio de Janeiro.


Nesta "selva de pedra", Cristiano desperta a paixão da milionária Fernanda. Sem medir esforços para que o rapaz deixe a vida simples ao lado de Simone e se case com Fernanda, seu tio, Miro, arquiteta um plano para matar Simone, que acaba sofrendo um acidente e é dada como morta. Cristiano, então, se envolve com a milionária Fernanda (Dina Sfat).


No entanto, ele se sente responsável pela morte de sua ex-companheira e abandona Fernanda no altar. Humilhada, a socialite enlouquece e jura vingança. Simone, que sobreviveu ao acidente, faz uma viagem e retorna disfarçada sob a identidade da irmã falecida, Rosana Reis

Novelão, ne?

A trama fez um enorme sucesso em todo o Brasil.

Dirigida por Daniel Filho e com uma trilha sonora linda, "Selva de Pedra" mitou e sim, meus senhores, registrou 100% de audiência no Rio de Janeiro na noite do dia 4 de outubro de 1972. Um feito, até então, inédito no Brasil. No capítulo 152, Simone (Regina Duarte) foi desmascarada pelo marido, Cristiano (Francisco Cuoco), acusada de assumir a identidade da sua irmã, Rosana Reis, falecida na infância.

Quer ver o relatório do Ibope deste dia? Clica aqui que já publicamos num texto passado!

Em São Paulo, onde a concorrência é maior, os números não foram menos significativos naquela noite: a Globo obteve 57 pontos (51%) contra 17 da Tupi (15%) e 10 da Record (9%). Na capital paulista, a novela chegou a médias de 64 pontos em seus capítulos finais.

Janete Clair também comentou o sucesso da novela em matéria da revista Cartaz. "Considero sempre o meu último trabalho o melhor. Sou muito volúvel e por isso esqueço facilmente o que já não é uma novela pretensiosa como inovação. É apenas uma história que passo para os telespectadores. O que ela tem de bom, de diferente das demais, é a sua direção. A direção de Walter Avancini é perfeita. E isso é importante. De todos os diretores com quem já trabalhei, foram Avancini e Daniel Filho os que melhor me entenderam".

Em 1986, a Globo chegou a realizar um remake da novela. A nova versão, apesar de ter feito sucesso, não conseguiu repetir o fenômeno da primeira edição.

E não perca nossa "viagem" pelas novelas que entraram para a história da TV!

E veja todos os textos que publicamos, reunidos aqui!

Comunicar erro

Comentários