'Abuso: A cultura do estupro no Brasil' ganha adaptação em podcast

Por Redação em 22/10/2021 às 07:42:47

Ontem dia 21/10, a jornalista e apresentadora do "Bom Dia Brasil", Ana Paula Araújo, estreou como podcaster com "Abuso", uma adaptação em áudio realizada pela Rádio Novelo, do seu livro "Abuso: A cultura do estupro no Brasil", lançado há um ano. Disponível no Globoplay, G1 e Deezer, o podcast tem seis episódios produzidos pelo Jornalismo da Globo.

O podcast também contempla depoimentos inéditos tanto de vítimas como de especialistas na área, além de situações vividas pessoalmente por Ana Paula, testemunhos e entrevistas realizadas ao longo de quatro anos de produção do livro. "Trazemos no primeiro episódio, por exemplo, o caso da Daniela, que foi abusada a infância inteira pelo padrasto e, na adolescência, fugiu de casa e foi morar debaixo do viaduto. Até que foi recolhida pelo serviço social de uma igreja, conheceu seu marido e conseguiu ajustar sua vida", conta Ana Paula. Daniela fez mestrado na Espanha e, ao voltar para o Brasil, criou o Instituto É Possível Sonhar, onde acolhe outras mulheres vítimas de violência sexual.

Com mais de 20 anos de experiência no Jornalismo, Ana Paula conta as principais diferenças para uma produção em formato podcast. "No áudio, precisamos prestar mais atenção ao som ambiente, temos que descrever detalhes, sem que fique algo cansativo", explica ela, que conta com uma equipe majoritariamente feminina. Como fala muito rápido, precisou se adaptar para manter a linha da narrativa. "Uma história lida é diferente de uma histórica contada, é um relacionamento mais próximo. Você se sente mais acompanhado, traz um pertencimento à informação. No livro, cada um faz sua imagem na sua cabeça. Por conta do meu trabalho na TV, muita gente me diz que lê o livro com a minha voz", comenta.

Ela também acredita que a adaptação em áudio tende a levar a mensagem do livro não só a outras mulheres, mas também aos homens. "Eu me surpreendi muito com o feedback positivo de homens que leram o livro", revela. Para a jornalista, a educação sexual é imprescindível para a diminuição dos abusos, que, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, são o tipo de violência que mais faz vítimas crianças e adolescentes no Brasil. Os casos, em sua maioria, são registrados dentro de casa, justamente por quem deveria proteger as crianças, normalmente envolvendo pessoas da família.


Comunicar erro

Comentários