A Deusa Vencida - Capítulo 39: 'A Mulher de Branco'

Por Redação em 08/02/2022 às 07:11:50

Atenção:

Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA – CLIQUE AQUI!


- "Sinhàzinha, Narcisa viu uma mulher lá no pomar: estava vestida de branco, era clara e desapareceu quando Narcisa quis chegar perto!" - Narcisa (Ruth de Souza) explicava para Cecília (Glória Menezes) que vira uma mulher, que bem poderia ser Hortênsia (Karin Rodrigues) – "Narcisa nunca viu ninguém na fazenda parecido com ela", continuou, "...se fosse alguém da fazenda, Narcisa reconhecia ... e prá que alguém ia fugir de Narcisa?"

O mais prático era voltar ao lugar onde a mulher tinha sido vista. Narcisa levou Cecília e as duas procuraram rastros. Encontraram realmente pegadas de pés descalços, que se dirigiam para o lado do rio.

Foi uma vitória para Cecília. Maciel (Altair Lima) e Barreto (Machadinho), que não tinham dado muita importância às suposições de Cecília, passaram a considerar a hipótese de haver mais alguma verdade escondida no caso de Hortênsia. Cecília comentava abertamente com Vina (Rachel Martins) e Sofia (Maria Aparecida Alves) as suas suspeitas. Vina nada respondia. Sofia procurava não tomar partido, mas, intimamente, admitia a possibilidade de Cecília estar certa: realmente, Fernando (Edson França) não permitia que ela fosse até ao outro lado do rio para ver as terras que ele comprara. Sofia se lembrava bem de que, de uma vez que Fernando voltara de São Paulo, depois de uma ausência prolongada, fora primeiro às terras do outro lado do rio e depois é que viera para casa. Alinhou mentalmente vários fatos que corroboravam o ponto de vista de Cecília: de que ainda não se sabia tudo sobre Hortênsia.

-x-

Edmundo (Tarcísio Meira) escreveu a Malu (Regina Duarte), avisando-a que se mudara da casa do pai e dava notícias de Laércio (Hugo Santana), que estava trabalhando e lhe conseguira um quarto numa pensão do centro da cidade. "Meu pai está cada dia pior, Malu. Agora quase não sai mais de casa e está sempre fechado no quarto. Nem a criada pode entrar lá para limpar. Ele faz tudo sozinho: tem medo de que lhe roubem o dinheiro, que guarda todo em casa. Tenho trabalhado muito e acredito que dentro de pouco tempo posso alugar uma casa que já tenho em vista e então nos casaremos. Tenho certeza de que você vai mudar de ideia".

Tendo que ir à cidade, Barreto levou a resposta de Malu. Entregou a carta a Edmundo e foi visitar Amarante (Ivan Mesquita), que estava realmente pior, como Edmundo dizia.

O roubo de que fora vítima o deixara aterrorizado. Ainda acreditava que tivesse sido Malu quem lhe furtara os novecentos e cinqüenta mil réis, que Edmundo repunha em parcelas. Sobre as cartas anônimas, tinha uma teoria própria: atribuía-as a Edmundo, seu filho. "De tão inteligente, chega a ser diabólico", dizia ele a Barreto. "Edmundo saiu a mim: astuto, esperto! Vejamos: quando se viu ameaçado de ser deserdado, descartou-se de Cecília Maciel e ainda deixou transparecer que o rompimento partira dela. Agora, decidido a se livrar da prima, manda-lhe uma carta que a faz romper o noivado! Golpe de mestre! Vinga-se do rival mais rico que ele lançando a discórdia, com a carta a dona Sofia! Desforra-se também dos aliados do seu rival, o senhor e Laércio, provocando a separação dos dois! Genial, o meu filho! E agora, ou eu muito me engano ou ele vai escrever uma carta para si mesmo, para despistar!..."

E, de fato, aconteceu, mais cedo do que Amarante esperava. Barreto ainda estava conversando com Amarante, quando Edmundo entrou: procurava Barreto, para executar um plano. Também ele acabara de receber uma carta anônima, prevenindo-o de que iria ter o mesmo fim do pai e do tio, pai de Malu: a loucura! Edmundo mostrou a carta a Barreto: a mesma letra das outras, o mesmo papel amarelado. Como no caso de Sofia, a carta tinha sido expedida pelo correio. Amarante dava risadinhas de satisfação: Edmundo viera confirmar que ele estava certo, o que lhe dava grande alegria.

"Senhor Barreto", disse Edmundo, "...sei que o senhor volta amanhã para a fazenda. Quero pedir-lhe que consiga do senhor Fernando permissão para irmos, meu pai, Laércio e eu para a fazenda: pretendo resolver de uma vez o caso das cartas anônimas. Creio firmemente que o autor é uma pessoa de nossas relações."

Barreto concordou com a ideia de Edmundo e prometeu escrever-lhe logo que tivesse a resposta de Fernando.

-x-

Laércio já se encontrava com o padrinho, convencido de que talvez tivesse sido vítima da maldade de alguém, já que as cartas anônimas estavam sendo enviadas sistematicamente a quase todas as pessoas das famílias Maciel, Albuquerque e Amarante, com o propósito evidente de levar a intranqüilidade até elas. Barreto passou a tarde com Laércio e sentiu que o afilhado voltava a ser o mesmo de antigamente: alegre e brincalhão. Todavia, Laércio insistia em continuar trabalhando, não cogitando de voltar aos estudos, pelo menos imediatamente.

Depois de tomar todas as providências que Fernando lhe pedira que tomasse, Barreto voltou à fazenda. A notícia de que outra carta anônima fora enviada trouxe muita inquietação. Embora não simpatizasse com Edmundo, Fernando concordou que era boa a ideia de reunir todas as pessoas implicadas em um só lugar e o mais indicado era a própria fazenda para se tentar pôr fim àquele estado de coisas. A única objeção partiu de Maciel, que estava ansioso para voltar para a cidade, pois se considerava um estranho na fazenda, já que a separação de Fernando e Cecília era um fato consumado, à espera da legalização. Assim sendo, Maciel julgava-se um intruso, que somente a doença poderia manter naquela fazenda por tanto tempo. Embora também aprovasse a ideia de Edmundo, julgou-a impraticável porque ele deixaria a fazenda dentro de poucos dias, com Cecília e Narcisa e, certamente Barreto os acompanharia.

Na mesma noite em que Barreto voltou de São Paulo, começou a chover abundantemente. Choveu quase uma semana inteira, de não se poder sair de casa. Voltando da vila, um dia, Jacinto chegou com a notícia de que o rio transbordara e levara água abaixo a ponte da estrada de ferro, estando interrompidas as comunicações com São Paulo.

Os reparos levariam semanas.

A contragosto Maciel teve que reconhecer que não havia remédio senão prolongar sua estadia na fazenda.


Continua...

Não perca a próxima parte deste grande sucesso da TV, a novela "A Deusa Vencida", de Ivani Ribeiro. Capítulos todos os dias (de segunda à sexta), às 19h.

Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA – CLIQUE AQUI!

· As imagens deste capítulo não são cenas da novela;

· Capítulo extraído da coleção "Telenovelas Famosas" com original de Ivani Ribeiro, adaptado por Saveiro Jr.