Capítulo 33: 'O Retorno de Edmundo'

Por Redação em 03/12/2021 às 19:00:00

Atenção:
Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA –
CLIQUE AQUI!

Do alto da amurada do navio Edmundo (Tarcísio Meira) via Malu (Regina Duarte) junto de Amarante (Ivã Mesquita) e lhes acenava. Achou-a mais frágil ainda do que quando partira. Amarante estava mais satisfeito do que nunca: tinha um filho doutor e já montara para ele um consultório na cidade - queria que Edmundo começasse a trabalhar imediatamente: a vida estava cara e Edmundo seria o único especialista em doenças dos olhos em São Paulo, portanto poderia ficar rico em pouco tempo.

Na viagem de volta Amarante contou ao filho todos os planos que tinha para ele, sem se preocupar em saber se Edmundo os aprovava ou não. Malu quase não pôde falar com o primo. Quando desceram do trem na cidade, Edmundo percebeu um certo ar de festa: bandeirolas, arcos de bambu enfeitados com papéis coloridos espalhados pelas ruas.

"É para Fernando Albuquerque", explicou Malu. "Está sendo homenageado hoje pela Associação dos Cafeicultores e vai dar uma recepção à sociedade na casa do senhor Maciel (Altair Lima). Hoje de manhã ele foi recebido na Câmara Municipal. Não se fala de outra coisa... Nós também fomos convidados por Cecília (Glória Menezes)..."

"Cecília", repetiu Edmundo. "Como está ela?"

Malu não precisou responder: olhou para Edmundo de tal modo que ele compreendeu que Cecília continuava infeliz.

"Papai", disse Edmundo, "gostaria muito de ir à festa na casa do senhor Maciel."

Amarante não esperava outra coisa: era a oportunidade de exibir o seu maior investimento - o filho doutor, recém-formado na Europa.

-x-

A festa era um sucesso que Sofia (Maria Aparecida Alves) não esperava. Trabalhara muito nos últimos dias para organizar uma recepção à altura dos convidados que Fernando pretendia reunir naquela noite. Tivera a sorte de contar com a ajuda valiosa de Laércio (Hugo Santana), que a instruíra sobre os detalhes e exigências da etiqueta: confecção de convites, elaboração da lista de convidados, preparação do buffet, contratação da orquestra e outras medidas que Sofia sozinha não tomaria por falta de experiência. Barreto (Augusto Machado de Campos) a ajudara sempre. Maciel se mantivera afastado e Cecília, declaradamente, contra ela. Nos primeiros dias, sabendo que Sofia precisava ir à cidade, deixou que ela fosse desacompanhada, o que foi uma humilhação: Sofia foi abordada na rua como se fosse uma mulher de vida fácil, ignorando que uma moça séria jamais saia à rua desacompanhada. Cecília se divertiu com o incidente, antipatizando-se mais ainda com Sofia.

Felizmente tudo passara e Sofia estava mais do que contente com o resultado do seu trabalho. Vina (Raquel Martins) nunca vira tanta gente importante e estava pasmada, sentada a um canto do salão, observando os vestidos e chapéus ostentados por lindíssimas mulheres acompanhadas por homens encasacados, que cumprimentavam e elogiavam seu filho, Fernando. Fora da casa, Candinha (Lourdinha Félix), Tico (Ayres Pinto) e Zuza (Airton da Silva) estavam de olhos arregalados: nunca tinham visto coisa igual - carruagens, cocheiros uniformizados, com botões dourados, homens com o peito coberto de fitas e medalhas, militares de uniformes coloridos, a música que a orquestra tocava e os instrumentos, principalmente os violinos, com sua música tão diferente. Como Cecília os proibira de entrarem no salão durante a festa, ficavam no jardim observando a chegada dos convidados e, através das grandes janelas, podiam ver o movimento dentro do salão, apinhado de gente. De repente Tico avistou Malu:

"Olha dona Malu lá dentro, com aquele homem de bigode!"

"É mesmo...", concordou Candinha, "...e tem um moço bonito com ela!"

Era realmente Malu, que acabava de chegar, acompanhada de Amarante e de Edmundo. Houve um murmúrio geral no salão e Edmundo se viu alvo de quase todos os olhares. Cumprimentou com acenos de cabeça alguns conhecidos, apertou a mão de Maciel e Barreto e se dirigiu para o fundo do salão, onde estava Cecília. Beijou-lhe a mão e a olhou serenamente nos olhos.

"A senhora está muito linda", disse Edmundo, formal.

Cecília estranhou a maneira de Edmundo se dirigir a ela. "Deve ser por causa das pessoas que nos olham", pensou. Fez um ligeiro aceno de cabeça e sorriu, agradecendo. Estava extasiada. De uma roda de amigos Fernando observava Cecília - nunca a vira sorrir daquele modo, com aquele brilho no olhar. Ao ver Malu chegar e pegar no braço de Edmundo, compreendeu que aquele era o seu rival, a paixão de Cecília, sua esposa. Fingiu não perceber e continuou a conversa com os amigos.

O que jamais poderia passar pela cabeça de Cecília era a possibilidade de não mais existir no coração de Edmundo amor por ela. Estava tão certa de ser amada quanto de amar Edmundo. O ano que passara na fazenda, isolada das pessoas, fizera com que Cecília se voltasse para dentro de si e vivesse do seu amor por Edmundo. Era um amor revivido a cada instante e que aumentava de minuto a minuto, que se arraigava cada vez mais em Cecília à medida em que a separação se prolongava. Não podia imaginar que outra coisa acontecesse com Edmundo, mas estava enganada. Se o próprio Edmundo não estava certo de amar ou não Cecília, pelo menos de uma coisa tinha certeza: sua paixão não era mais aquela paixão desenfreada que o levaria até à fuga, se fosse necessário.

Ao contrário de Cecília, Edmundo não passara um ano isolado, voltado para dentro de si mesmo. A vida em Paris podia ser tudo, menos uma vida monótona. A viagem, a mudança de ambiente, os estudos, as novas amizades, a nova dimensão que se abria para Edmundo com a temporada na Europa fizeram dele um homem ponderado e apagaram nele o fogo da paixão que o dominava antes de partir para o estrangeiro. Edmundo não se acovardara - voltava disposto a enfrentar todas as consequências de seus atos, caso descobrisse amar Cecília. Por tudo isso Edmundo tratara formalmente Cecília, ao cumprimentá-la. Não se demorou muito na festa: alegou cansaço proveniente da viagem, cumprimentou rapidamente Fernando e saiu, no que foi acompanhado por Amarante e Malu, sem participar do baile.

Cecília se transformou repentinamente. De alheia que estava, passou a participar ativamente da festa, percorrendo as rodas e bailando sempre que era solicitada. A um momento, porém, em que Fernando lhe pediu uma dança, alegou cansaço, negando-se a bailar com o marido, o que não passou despercebido às pessoas mais próximas, que trocaram olhares significativos e sorrisos maliciosos. Pouco depois Cecília estava dançando novamente, sem dar atenção a Fernando, deixando-o intimamente furioso. Cecília estava conseguindo o que queria: estragar a festa de Fernando.

Continua...

Não perca a próxima parte deste grande sucesso da TV, a novela "A Deusa Vencida", de Ivani Ribeiro. Capítulos todos os dias (de segunda à sexta), às 19h.

Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA – CLIQUE AQUI!

· As imagens deste capítulo não são cenas da novela;

· Capítulo extraído da coleção "Telenovelas Famosas" com original de Ivani Ribeiro, adaptado por Saveiro Jr.