'A Deusa Vencida' - Capítulo 12': 'Pomada ou Graxa?'

Por Redação em 04/11/2021 às 18:59:00

Atenção:
Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA – CLIQUE AQUI!


Laércio (Hugo Santan) — o moleque Laércio — fez uma encenação!

"Padrinho, o senhor não imagina o que tive que fazer, as pessoas que tive que procurar (mal educadas!) e como tive que andar... Ah, padrinho, se não fosse pelo senhor...

"Laércio, os fatos: quando Fernando Albuquerque (Edson França) vem à cidade?"

"Padrinho, o senhor está com sorte! Deve ter sido a boa ação que o senhor fez ontem! Fernando Albuquerque está na cidade... (pausa, diante da estupefata alegria de Barreto)... está hospedado no quarto 28 do Grande Hotel... e vai ficar por uns cinco dias!. ..

"Muito bom... muito bom."

Barreto (Augusto Machado de Campos) saiu e deixou Laércio intrigado com a reação do padrinho.

Laércio ainda estava deitado quando Barreto chegara, impaciente — não recebendo logo de manhã o telefonema de Laércio, viera acordá-lo às dez horas. Laércio nunca vira o padrinho assim nem ao menos o criticara por se levantar tão tarde, perdendo horas preciosas de estudo.

"Alguma coisa deve estar acontecendo", pensou Laércio.

-x-

No hotel, informaram Barreto que Fernando saíra às nove horas.

"Pelo que ouvi, senhor, o senhor Fernando deve ter ido à Casa de Saúde Santa Anastácia.

"Mas... é um hospital para débeis mentais...", acrescentou Barreto

"O senhor Fernando vem todos os meses e costuma ir sempre lá..."

O porteiro se mostrava prestativo e Barreto continuou se informando.

"Ele tem algum parente... internado?"

"Não sei dizer, senhor"

Barreto resolveu esperar. Comprou um jornal, para passar o tempo: quase as mesmas notícias de todo dia: extensão de uma linha de bonde a um bairro mais afastado, demolição de prédios para a abertura de nova rua, alargamento da rua de São João e... Barreto se interessou um comentário do Secretário da Agricultura sobre a excelência do café produzido por Fernando Albuquerque, jovem fazendeiro paulista.

De tão absorto que estava na leitura do jornal, Barreto não percebeu quando Fernando chegou, deixou em embrulho na portaria e saiu novamente.

O porteiro veio avisá-lo. Como todo bom porteiro, era observador: Fernando voltara com os sapatos sujos de lama - da rua onde ficava a Casa de Saúde Santa Anastácia.

"Pode ser que me engane, senhor, mas o senhor Fernando Albuquerque provavelmente terá ido engraxar os sapatos no largo de São Bento."

-x-

"Graxa ou pomada, moço? Graxa, um tostão; pomada, duzentos réis, fora a gorjeta. . ."

Fernando escolheu a pomada.

O engraxate ajeitou o guarda-sol de tal modo que o freguês fosse todo coberto pela sombra, ficando com os pés expostos ao sol, o que facilitava o seu trabalho - o sapato secaria mais rápido, a pomada penetraria melhor no couro e daria mais lustro.

Um homem de uns cinquenta anos, de barba densa e bigodes cuidados, já um pouco grisalhos, sentou-se ao lado de Fernando. O outro engraxate repetiu a cantilena:

– Graxa ou pomada, moço? Graxa, um tostão; pomada, duzentos réis... fora a gorjeta.

"Pomada."

O homem estava interessado na leitura do jornal. Demonstrava um certo entusiasmo. Acabando de ler, voltou-se para Fernando.

"Ora, veja, senhor, se não é para alegrar a gente. Este moço - e apontava o jornal – é uma prova do que podem fazer a inteligência e a tenacidade. Em poucos anos de trabalho à frente de uma fazenda, já é alvo de comentário do Secretário da Agricultura, devido à qualidade excepcional de café que está produzindo. O senhor já deve ter ouvido falar... o nome dele é... deixe ver, Fernando Albuquerque..."

"Às suas ordens, senhor. Eu sou Fernando Albuquerque."

"O senhor... que feliz coincidência! Senhor, é uma satisfação imensa conhecê-lo. Meu nome é Barreto" - e deu a Fernando um cartão.

"Nicolas Barreto", leu alto Fernando.

"Procurador da família Maciel."

A reação pronta de Fernando surpreendeu Barreto.

"Maciel... da família de dona Cecília Maciel?"

"Sim, o senhor a conhece?"

"De vista. É muito bonita... Nunca nos fomos apresentados."

"Senhor Fernando, seria um prazer para mim arranjar isso. Vamos ver... amanhã terá início a temporada lírica no Teatro São José. Dona Cecília comparecerá com o pai. Se o senhor estiver lá, poderei fazer a apresentação."

"Senhor Barreto, não trouxe trajes apropriados... casaca... o senhor sabe, vim a negócios."

"Ora, não dê importância a esses detalhes... Ninguém irá barrá-lo, o fazendeiro mais importante destas bandas! Tenho certeza de que tanto Maciel como dona Cecília terão prazer em conhecê-lo."

"Prometo fazer o possível."

Pagaram os engraxates.

Ocorreu a Fernando comentar com Barreto os boatos que ouvira a respeito de Maciel.

"Senhor Barreto, não me tome por indiscreto. Tenho ouvido rumores sobre a situação financeira da família Maciel, e acredite-me, tenho razões sérias para justificar o que pareceria bisbilhotice de minha parte. O que há de verdade em tudo isso?

Nos últimos meses Barreto enfrentara tantos credores temerosos de perderem as dívidas de Maciel que o procurador da família criara um sistema de defesa que lhe escapava quase que instintivamente. As frases variavam — "ora, nada mais ridículo: Maciel na miséria, ho, ho, ho, ho!" ou então "Calúnia! Infâma! Isto é obra dos desonestos que Lineu Maciel tem apontado", etc.

Para pessoas como Fernando Albuquerque, a resposta era mais ou menos assim:

"Coisas sem importância, senhor Fernando, coisas de nada. Problemas que se resolvem em questão de dias!. . ."

Fernando avançou mais um pouco:

"Senhor Barreto. Estou hospedado há alguns dias no Grande Hotel. Ouvi comentários sobre o que se passou na noite de anteontem para ontem. Um dos presentes era um fazendeiro ami- go meu... tenho a impressão de que as coisas são graves. Perdoe-me se me intrometo tanto num assunto para o qual o senhor deve querer muita discrição... Eu apenas gostaria de saber se posso ajudar de algum modo.

Barreto pareceu não compreender bem.

"Ajudar, senhor Fernando? O que é que o senhor quer dizer?

Entraram numa confeitaria, onde poderiam conversar melhor.

Barreto percebia que não havia muito que ocultar a Fernando Albuquerque.



Continua...

Não perca a próxima parte deste grande sucesso da TV, a novela "A Deusa Vencida", de Ivani Ribeiro. Capítulos todos os dias (de segunda à sexta), às 19h.

Para conferir todos os capítulos e seguir a ordem cronológica – VALE A PENA – CLIQUE AQUI!

· As imagens deste capítulo não são cenas da novela;

· Capítulo extraído da coleção "Telenovelas Famosas" com original de Ivani Ribeiro, adaptado por Saveiro Jr.